Veja: Korb Galeria apresenta a exposição coletiva "Ouro Líquido" e a individual "Invisível", de Fernando Bianchi, com curadoria de Juliana Curvellano, no Centro Cultural Correios RJ

 Korb Galeria apresenta a exposição coletiva "Ouro Líquido" e a individual "Invisível", de Fernando Bianchi, com curadoria de Juliana Curvellano, no Centro Cultural Correios RJ



foto Fernando Bianchi


As fotos de Fernando Bianchi trazem visões diversas da cidade de São Paulo, e as obras de Ouro Líquido falam da valiosidade da água e seus simbolismos



Korb Galeria apresenta a exposição coletiva "Ouro Líquido" e a individual "Invisível", de Fernando Bianchi, com curadoria de Juliana Curvellano, no Centro Cultural Correios RJ, contrapondo visões concretas e urbanas de uma cidade como São Paulo, com a essência da água em seus mais diversos simbolismos, importância vital e ambiental.


 A visitação ocorre até o dia 11 de maio, de terça a sábado, das 12h às 19h.


 
Sobre 'Ouro Líquido'


"Ouro Líquido" transcende a mera concepção da água em sua forma líquida, passeando pelas esferas cultural, simbólica, econômica, social, ambiental e espiritual. Sob este título, conceituados artistas como Matteo Beltrami, Fabian Albertini, Carmen Einfinger, Gabriela Maciel, Sofia Seda, Miriam Loellmann, Bruna Rotunno, Matteo Messori e o duo Pirilampos do Planeta, trazem obras que capturam a essência profunda da água e lançam um olhar único sobre sua valiosidade, especialmente em regiões onde ela é escassa. 


Cada obra de 'Ouro Líquido' é uma contribuição intrínseca para a compreensão mais profunda e holística da água como um tesouro a ser preservado. Transitando entre o realismo e a utopia, entre a figuração e a abstração, as obras revelam perspectivas únicas que convidam os espectadores a refletirem sobre seu relacionamento com a água, provocando emoções e memórias profundas. 


Sobre 'Invisível'


O fotógrafo Fernando Bianchi apresenta, em 'Invisível', uma visão profunda e multifacetada da vida nas grandes cidades. Através de suas lentes leva o espectador a uma jornada visual pelo coração de São Paulo, buscando imortalizar a cidade em sua mais autêntica essência. 


As fotografias, tanto em preto e branco quanto em cores, que compõem a exposição refletem uma estética sóbria, porém evocativa, capturando a essência da paisagem urbana moderna com um profundo senso de curiosidade e reverência. Cada cenário urbano é abordado por Bianchi com uma perspectiva fresca, assemelhando-se a um observador ávido que explora o ambiente urbano pela primeira vez. Suas fotografias transmitem um senso palpável de familiaridade, enquanto preservam a identidade única de cada local explorado. 


Com meticulosa atenção aos detalhes e um olhar aguçado para as nuances da vida urbana, as fotos de Bianchi não são apenas  meros registros, e sim interpretações ricas e abertas a diversas visões, permitindo o domínio de uma perspectiva única e envolvente da essência intrínseca da cidade. Ao explorar o visível, o espectador é convidado a compreender as camadas mais profundas da paisagem urbana através das narrativas visuais de Bianchi. Através de sua lente, revela histórias ocultas e verdades não contadas que residem sob a agitada fachada da vida na cidade.


Sobre Juliana Curvellano

Nascida no Rio de Janeiro em 1988. Vive e trabalha entre o Rio de Janeiro e Reggio Emilia, Itália. Formada em Design de Moda em Paris, cursou História da Arte e Teoria da Arte Contemporânea na EAV Parque Lage. Juliana também obteve conhecimentos em Gestão de Galerias de Arte no Sotheby 's Institute of Art em Nova Iorque, e concluiu um Mestrado em Mercado de Arte Contemporânea na Nuova Accademia di Belle Arti em Milão. Ao longo de sua carreira, Juliana Curvellano adquiriu experiência trabalhando em galerias de arte no Rio de Janeiro, Nova Iorque e Milão. A partir de 2015, começou a se envolver na curadoria de exposições e a colaborar com artistas. Em 2017, deu início ao projeto Noaddress Gallery, uma galeria nômade com um foco especial em artistas emergentes, proporcionando uma abordagem flexível e dinâmica para a promoção destes no cenário artístico contemporâneo.  


Sobre a Korb Galeria


 O nome “KORB Galeria” surgiu através do significado da própria palavra alemã korb, que significa cesto; simbolizando a busca incansável por coletar inspirações únicas e talentos excepcionais, como quem vai ao campo colher tesouros únicos. Com um conceito inovador que incorpora a essência da exclusividade, singularidade e beleza, a Korb busca a exclusividade em cada peça, mas também reconhece o valor da diversidade, oferecendo opções comerciais para atender as diferentes necessidades dos  clientes. "Somos apaixonados por arte e cada obra exclusiva é cuidadosamente selecionada para proporcionar experiências significativas e emocionantes aos nossos clientes. Além disso, oferecemos uma série de serviços especializados que tornam a experiência do cliente ainda mais enriquecedora".


Serviço


Exposição: Invisível
Artista: Fernando Bianchi
Instagram: @ferandobianchi511
Curadoria: Juliana Curvellano
Realização: Korb Galeria @korbgaleria
Apoio: Grupo Construfarma/Widimar Ligeiro/Arqluz Projetos/ARC Studios/Briled Iluminação/ Correios Cultural

Exposição: Ouro Líquido
Artistas: Matteo Beltrami, Fabian Albertini, Carmen Einfinger, Gabriela Maciel, Sofia Seda, Miriam Loellmann, Bruna Rotunno, Matteo Messori e o duo Pirilampos do Planeta
Instagram: @beltrami_matteo @fabianalbertini @carmeneinfinger @gabriela__maciel @sofiaseda_ @miriamloellmann @brunarotunno @m_messori @pirilamposdoplaneta
Curadoria: Juliana Curvellano
Realização: Korb Galeria @korbgaleria
Apoio: Vinci Automação/Movimento de Artesãos e Ofícios/Grupo Construforma/Widimar Ligeiro/Arqluz Projetos/ARC Studio/Briled Iluminação/Correios Cultural


Visitação: até 11 de maio de 2024
Local:  Centro Cultural Correios RJ - 2º andar  @correioscultural
Rua Visconde de Itaboraí, 20 - Centro - RJ
Dias e horários: terça a sábado, das 12h às 19h
Assessoria de Imprensa: Paula Ramagem @paulasoaresramagem
Evento gratuito
Censura Livre.

Como chegar: metrô (descer na estação Uruguaiana, saída em direção à Rua da Alfândega); ônibus (saltar em pontos próximos da Rua Primeiro de Março, da Praça XV ou Candelária); barcas (Terminal Praça XV); VLT (saltar na Av. Rio Branco/Uruguaiana ou Praça XV); trem (saltar na estação Central e pegar VLT até a AV. Rio Branco/Uruguaiana).

Acessibilidade: adaptado para pessoas cadeirantes

A exposição tem como público-alvo empresários, profissionais liberais, colecionadores, professores, estudantes e público em geral.

Não perca! Visite as exposições! Confira!
Postagem Anterior Próxima Postagem