ErriVance abre o coração no EP “DEBO$HE”

O rapper ErriVance lança seu EP “DEBO$HE”, um projeto que representa um marco em sua carreira após nove anos fazendo hip hop. No trabalho, ele oferece uma visão sobre os desafios enfrentados pelos artistas na indústria da música, enquanto celebra a diversidade cultural e musical da Bahia.

“Durante esse período lidei com os desafios financeiros, ansiedade, instabilidades emocionais, psicológicas, falta de conhecimento, oportunidades, mas, nas dificuldades encontramos soluções, parcerias e esse é o melhor momento para realizar este lançamento”, conta ErriVance.

O projeto conta com participações especiais de talentosos produtores baianos e beatmakers, Tom VX e All4n Beats, além das colaborações de Killauea e Miguella Magnata na faixa “Desculpa”.

“Essa música [Desculpa] surge a partir do lugar de escuta que cada artista ofereceu em suas relações afetivas de troca, sobre as experiências profissionais e pessoais no mercado da música. A união em torno deste projeto tornou o processo muito simbólico, potente e representativo”, comenta.

As faixas – lançadas por meio da MUSIC PRÓ – são acompanhadas de seis produtos audiovisuais, sendo um videoclipe e cinco visualizers assinados por Murilo Deolino, Reifra Pimenta, Lemuel Castro e Thacle de Souza, produzidos no Território do Recôncavo, na Bahia.

Segundo ele, as faixas “Desculpa” e “Fundamentos” são as que ele destaca para o público que busca ouvir uma mensagem e entender as suas vivências. Paralelo a isso, “Ela Quer Fu” e “Tapa na Bunda 2” mostram uma outra experiência ao ouvinte, pois possuem letras explícitas e beats dançantes, algo pensado para as pistas.

O processo de criação do EP, segundo ErriVance, envolveu dois anos de dedicação e muito trabalho. Ele mergulhou em suas experiências pessoais e profissionais, transformando desafios em inspiração para suas composições. Unindo sonoridades diversas como hip hop, trap, pop, pagotrap, funk e rock, criou um registro musical que captura a essência da sua expressão artística.

A capa do álbum tem assinatura de João Guaragna (stylist e diretor artístico), Jean Igor (designer) e Renato Santana (fotógrafo). Nela, o look utilizado tem relação direta com o hip hop. Ao criar esse visual com referências, o artista buscou fortalecer o movimento e mostrar identidade, além de reverenciar peças que fazem parte de uma cultura histórica do subúrbio e que moldou o comportamento de muitas pessoas.

Redação

Postagem Anterior Próxima Postagem