XV Festival de Cinema da Fronteira anuncia Filmes Premiados; confira!



O Festival Internacional de Cinema da Fronteira anunciou na noite de 27 de abril de 2024, sábado, os vencedores de sua 15ª edição realizada em Bagé (RS), Livramento (RS) e Rivera (Uruguai). Os homenageados deste ano foram a cineasta argentina Lucrecia Martel e o ator e músico santa-mariense Flavio Bauraqui.


O grande destaque da premiação foi o longa brasileiro “A Transformação de Canuto” (PE/SP), de Ariel Kuaray Ortega e Ernesto de Carvalho, que levou melhor filme, júri popular e montagem. O também pernambucano “Seu Cavalcanti”, de Leonardo Lacca, conquistou melhor direção e prêmio de júri da crítica. “Penal Cordillera” (Chile/Brasil) ganhou melhor roteiro e menção honrosa.


Coprodução entre Cuba e Venezuela, “Sotavento”, de Marco Salaverría Hernández, foi o vencedor da Mostra Internacional de Curtas-metragens. O uruguaio “Carne”, de Facundo S. Ferreira, foi agraciado com melhor direção. Giovanni Venturini levou melhor atuação por “Big Bang” (Brasil/França). “Onde a Floresta Acaba” (SP), de Otavio Cury, e “La Gauchada” (Argentina), de Juan Follonier e Gastón Calivari, foram premiados com menção honrosa e júri popular, respectivamente.


Na Mostra Regional de Curtas-Metragens, o destaque foi o bajeense “Os Ausentes”, de Jeferson Vainer, que ganhou melhor filme e roteiro. Produzido em Alvorada, “O Centenário da Minha Bisa”, de Cristyelen Ambrozio, conquistou direção e fotografia, enquanto o porto-alegrense “Sombras da Mente”, de Marina Greve, recebeu melhor atuação e direção de arte. 


A Mostra de Animação premiou os curtas “Hide & Seek”, de Rami Abbas (melhor filme), e o mineiro “Pororoca”, de Fernanda Roque e Francis Frank. Entre os vencedores do 3º Sur Frontera WIP LAB estão “Solo”, de Lucas Scavino, Daniel Botti e Laura Fraile, que levou os prêmios destaques de tutores e júri pitching, e “Deus nos Guie”, de Alice Stamato e Gustavo Auricchio, com consultoria de roteiro e Prêmio Lab.


A seleção principal reuniu sete longas em competição, sessões especiais e inclusivas, e 51 curtas projetados nas três cidades. O número recorde de três mil filmes foram inscritos para seleção e 110 projetos foram submetidos ao Sur Frontera WIP LAB, atividade do festival voltadaa para profissionais do audiovisual.Neste ano, o XV Festival Internacional de Cinema da Fronteira contou com o patrocínio master da Petrobras, através do Programa Petrobras Cultural, e recursos da Lei de Incentivo à Cultura – Lei Rouanet, Ministério da Cultura, Governo Federal. O evento tem o apoio da Claro, apoio institucional do IFSul, URCAMP, UNIPAMPA, UTEC, Destino Binacional, Jornal Minuano e FRAPA. A promoção é da Secretaria Municipal de Cultura de Bagé, a produção da Anti Filmes e Maristela Ribeiro Produções, e a realização do Centro Histórico Vila Santa Thereza e Associação Pró- Santa Thereza.



Premiados do XV Festival de Cinema da Fronteira – crédito: Isidoro B. Guggiana

Premiados XV Festival Internacional de Cinema da Fronteira


Mostra Internacional de Longas-metragens


Melhor Filme: “A Transformação de Canuto” (Brasil-PE/SP), de Ariel Kuaray Ortega e Ernesto de Carvalho (Brasil);


Melhor Direção: Leonardo Lacca, por “Seu Cavalcanti” (Brasil-PE);


Melhor Fotografia: Gerardo Azar e Matías Mayolo, por “La Otra Memoria del Mundo” (Argentina);


Melhor Montagem: Ernesto de Carvalho e Tatiana Almeida, por “A Transformação de Canuto”;

Melhor Roteiro: Felipe Carmona, por “Penal Cordillera” (Chile/Brasil);


Melhor Atuação: Eva Bianco, por “Las Cosas Indefinidas” (Argentina);


Melhor Direção de Arte: Toni Vanzolini, por “O Diabo na Rua no Meio do Redemunho” (Brasil-RJ);


Menção Honrosa: Elenco principal de “Penal Cordillera”;


Prêmio da Crítica: “Seu Cavalcanti”, de Leonardo Lacca;;


Melhor Filme – Júri Popular: “A Transformação de Canuto”.


Mostra Internacional de Curtas-metragens


Melhor Filme: “Sotavento” (Cuba/Venezuela), de Marco Salaverría Hernández;


Melhor Direção: Facundo S. Ferreira, por “Carne” (Uruguai);


Melhor Atuação: Giovanni Venturini, por “Big Bang” (Brasil/França);


Menção Honrosa: “Onde a Floresta Acaba” (Brasil-SP), de Otavio Cury;


Melhor Filme – Júri Popular: “La Gauchada” (Argentina), de Juan Follonier e Gastón Calivari.


Mostra Regional de Curtas-metragens


Melhor Filme: “Os Ausentes” (Bagé-RS), de Jeferson Vainer;


Melhor Direção: Cristyelen Ambrozio, por “O Centenário da Minha Bisa” (Alvorada-RS);


Melhor Atuação: Marina Greve, por “Sombras da Mente” (Porto Alegre-RS);


Melhor Fotografia: “O Centenário da Minha Bisa”;


Melhor Montagem: Gabriel Pereira, por “Impostor” (Rivera-Uruguai);


Melhor Roteiro: Jeferson Vainer e Tamile Padilha, por “Os Ausentes”;


Melhor Direção de Arte: Geórgia Flores, por “Sombras da Mente”;


Melhor Filme – Júri Popular 1: “A Fabulosa Estância São Lauro” (Bagé-RS), de Guilherme Monteiro;


Melhor Filme – Júri Popular 2: “O Conto do Tarran” (Bagé-RS), de Carmen Lucia Moreira.


Mostra de Curtas de Animação


Melhor Filme: “Hide & Seek” (Palestina/Espanha/Turquia/Líbano/Holanda/França/Síria), de Rami Abbas;


Melhor Filme do Júri Popular: “Pororoca” (Brasil-MG), de Fernanda Roque e Francis Frank.


III Mercado Sur Frontera WIP LAB


Prêmio Destaque – Tutores: “Solo”, de Lucas Scavino, Daniel Botti e Laura Fraile;


Prêmio Destaque – Júri Pitching: “Solo”;


Prêmio FRAPA: “Perigo Crocodilo”, de Débora Mamber, Flavio Botelho e Daniela Capelato;


Prêmio FUGA_LAB: “Badass: Bumbum do Mal”, de Bruna Bandeira da Luz e Rober Corrêa (consultoria de roteiro de um ano);


Prêmio Maria Angela de Jesus de Consultoria de Roteiro 1 (consultoria para três versões do roteiro): “Deus nos Guie”, de Alice Stamato e Gustavo Auricchio; 


Prêmio Maria Angela de Jesus de Consultoria de Roteiro 2: “A Hora Sem Nome”, de Richard Tavares e André Novais Oliveira;


Prêmio FIDBA (credencial/vaga para o lab WIP): “Palimpsesto”, de André Di Franco, Felipe Canêdo e Samuel Quintero;


Prêmio Lab da Semana do Cinema Brasileiro em Buenos Aires: “Deus nos Guie”;


Prêmio Mercado Audiovisual de Trancoso (vaga garantida para participar da segunda edição): “Fragilidades”, de Paula Santos.

Redação

Postagem Anterior Próxima Postagem