A exposição 'Argus' homenageia os 200 anos da migração alemã no Brasil, com curadoria de Edson Cardoso, na M. Blois Galeria de Arte

 A exposição 'Argus' homenageia os 200 anos da migração alemã no Brasil, com curadoria de Edson Cardoso, na M. Blois Galeria de Arte





"Argus" é a exposição que a Ava Galleria Rio apresenta a partir de 28 de junho, com curadoria de Edson Cardoso, na M. Blois Galeria, para homenagear os 200 anos da Migração Alemã no Brasil. A coletiva leva o nome de um velho navio de madeira, com velas e três grandes mastros que partiu em julho de 1823, de Amsterdã, com os primeiros imigrantes ao nosso país, chegando em janeiro de 1824


Chegando ao Brasil, teria início um processo que duraria décadas e levaria milhares de europeus ao território brasileiro, exercendo uma ampla variedade de atividades nas áreas de agricultura, indústria, comércio, arquitetura e artes, pertencendo a classes sociais diferentes e desempenhando, assim, um papel importante na configuração econômica e cultural do Brasil.


Entre os artistas convidados a participar da exposição estão Adriano Antoine, Andrea Bretas, Alemão Art, Amanda Padovani, Bianca Vidal, Claudia Sperb, Eduardo Valdetaro, Elizabeth Wortsman, Gisele Faganello, Guto Santos, Hanne Hickmann Hansel, Jurgen Eichler, Laura Figueiredo-Brandt, Marilene Fonseca,Paula Queiroz, Solange Greco, Yana Purger, Soliveiz e Tavinho Paes.


Os alemães enriqueceram a cultura brasileira com suas tradições, música, gastronomia e literatura. Hoje, estima-se que existam mais de 5 milhões de descendentes de alemães no Brasil, fazendo dessa comunidade uma das maiores do país. Sua influência é evidente na cultura, economia e sociedade brasileiras, destacando a imigração alemã como um capítulo importante da história nacional, um exemplo de superação e contribuição para o desenvolvimento do Brasil.


Por que os alemães vieram ao Brasil?


Devido a pressões econômicas, políticas e sociais na Alemanha, muitos alemães deixaram seu país no século XIX. Eles buscavam melhores oportunidades de vida, liberdade religiosa e refúgio de conflitos e instabilidade presentes em sua terra natal. Entre 1878 e 1892, mais 7 milhões de alemães deixaram a Alemanha, sendo que a grande maioria emigrou para os Estados Unidos.


Após a abolição do tráfico negreiro, a imigração europeia aumentou significativamente para suprir a demanda por mão de obra nas plantações de café do Brasil. Além disso, no Sul do Brasil, havia uma necessidade urgente do governo de promover o povoamento da região para estimular o desenvolvimento econômico e consolidar o território, levando, assim, ao oferecimento inicial de terras aos imigrantes alemães.


Os primeiros imigrantes alemães que chegaram ao Brasil durante o reinado de D. Pedro I e se estabeleceram principalmente nas regiões Sudeste e Sul do país. A colônia alemã de São Leopoldo, no estado do Rio Grande do Sul, foi fundada em 1824, marcando o início dessa presença alemã no Brasil.


Duzentos anos atrás, depois de uma viagem de seis meses, o veleiro Argus chegava ao porto do Rio de Janeiro. A embarcação holandesa trazia para o Império brasileiro 269 imigrantes alemães. O Argus era o primeiro dos quase 40 navios que trariam ao Brasil mais de 11 mil colonos e soldados germânicos até 1830.



Exposição: "Argus"

Artistas: Adriano Antoine, Andrea Bretas, Alemão Art, Amanda Padovani, Bianca Vidal, Claudia Sperb, Eduardo Valdetaro, Elizabeth Wortsman, Gisele Faganello, Guto Santos, Hanne Hickmann Hansel, Jurgen Eichler, Laura Figueiredo-Brandt, Marilene Fonseca,Paula Queiroz, Solange Greco, Yana Purger, Soliveiz e Tavinho Paes.

Curadoria: Edson Cardoso

Abertura: 28 de junho às 18h

Visitação: 28 de junho a 14 de julho de 2024

De terça a sábado, das 11h às 12h e das 13h às 17h

Local: M.Blois Galeria de Arte

Rua Visconde de Pirajá, 111 - loja E - Ipanema - RJ

Realização: Ava Galleria Rio

Apoio: ICELA / Arte Vida Arte / PR Comunicação / Moreno Advocacia / Atualidad

Censura livre

Gratuito
Postagem Anterior Próxima Postagem